quarta-feira, 1 de setembro de 2004

Os movimentos Open Source e Free Software

[última actualização: 2006.04.05]

Só há uns dias me apercebi da existência destas vertentes associadas ao movimento do Acesso Livre. Estes movimentos estão relacionados com a criação e desenvolvimento de software. Embora, na essência, ambos os movimentos possam parecer iguais, existem diferenças que eu própria ainda não consegui discernir claramente. Nas pesquisas que tenho feito sobre este tema, encontrei esta exposição que fala dessas diferenças:

“People often mistake Open Source for free software. The two are different things. OSS may be free software, or it may not be. Equally free software may be OSS but it may also not be. However the two are not mutually independant. It's not a choice of OSS or free. It is possible to have both as well as just one or the other.(…)”.

Outra exposição que encontrei foi a de Peter Suber, especialista e defensor do Open Access Movement e editor do Open Access News, que já há muito falou desta questão:

“(…)The free software wing of the movement (the Richard Stallman school) blocks commercial use, while the open source wing of the movement (the Eric Raymond school) permits it.
The free software school uses the GNU General Public License (GPL), which requires those who adopt, modify, and redistribute GPL code to give their users all the rights they themselves enjoyed, including the right to see and modify the code free of charge. That prevents commercial use and that is part of the point. It's also one reason why Microsoft is blowing the trumpet to warn corporate America not to use code protected by the GPL.
The open source movement doesn't use just one kind of license, the way the free software movement uses the GPL. But the open source licenses typically allow users to incorporate open source code into larger projects which are then sold for profit as closed source packages. Section 1 of the official Open Source Definition asserts that open source licenses "shall not restrict any party from selling or giving away the software as a component of an aggregate software distribution containing programs from several different sources. The license shall not require a royalty or other fee for such sale." This is why, for example, IBM can incorporate the Apache server (open source) into WebSphere (closed source) and sell it (…)”
.

Para quando tiver mais um tempinho disponível para aprofundar um pouco mais este assunto, e para quem estiver interessado, deixo aqui links que me parecem os indicados:

Open Source

Open Source Initiative OSI

The Open Source Definition

Bioinformatics.org: the Open-Access Institute
About Bioinformatics.org

Free Software

The free software definition

GNU Operating System - Free Software Foundation

Development, Ethical Trading, and Free Software

Richard Stallman: The Free Software Movement *Is* Politics -
The Free Software Movement teaches computer users to value freedom


RAHTZ, S. ; METCALFE, J. - Support Models for Open Source Deployment. Ariadne. n.º 40 (2004)


Deixo também uma colecção de páginas que falam destes movimentos e da sua aplicação e utilização pelas Bibliotecas e Profissionais de Informação:

GNUTECA - Software Livre para Bibliotecas

- Cadastro de Software Livres para as Bibliotecas do FUST ( SI Brasil)

Oss4li – open source systems for libraries

Artigo da Information Today (Volume 18, Issue 9 — October 2001)


Nota: para analisar também página da EFF – Electronic Frontier Foundation
e Encoded Archival Description (EAD) Document Type Definition (DTD) : “is a standard for encoding archival finding aids using (…) XML”- (projecto iniciado pela Universidade da California, Berkeley, mantido pela Library of Congress e pela Society of American Archivists). O EAD DTD usa a Extensible Markup Language (XML), um programa de Open Source, segundo me disseram.
Mais sobre xml :
  • XML.com
  • XML Tutorial
  • The XML FAQ

    [Abril de 2005]

    Ver post da Mónica sobre o III Encontro Nacional de Tecnologia Aberta (Open Source) que decorreu no Pólo Tecnológico de Lisboa, em Abril, com muitas ligações e apontamentos úteis sobre este assunto.

    [2006]

    A minha querida Mónica André continua a explorar este assunto. Usando como desculpa a minha preguiça transcendental permito-me (termo interessante) incluir aqui os posts que tem feito:

    01.03.2006 - [report] Utilização de software aberto por entidades públicas da UE

    01.04.2006 - IV Encontro Nacional de Tecnologia Aberta
  • 2 comentários:

    Mónica André disse...

    Primeiro os meus parabéns (e também agradecimentos) por todas as pistas que aqui disponibilizas. Há muito tempo que venho aqui espreitar e se, até há pouco tempo, te podia agradecer em conversa de corredor, agora, embora mais distante geograficamente, sinto que de novo estamos mais perto.

    Quanto ao movimento de Open Source, ainda recentemente, nas discussões que estão a ocorrer no KnowledgeBoard (KB), esta questão voltou a emergir: apesar de o KB ser financiado pela UE está a preparar a entrada para a sustenção com receitas próprias. E é aqui que se levantam algumas questões: o volume de informação que por lá se encontra sobre Gestão do Conhecimento, e que atrai visitantes de todos os campos do globo, tem sido alimentado por uma comunidade que não tem recebido contrapartidas financeiras, disponibilizando as suas reflexões/artigos/papers de forma gratuita e ganhando através da divulgação nome e talvez credibilidade em determinadas áreas do saber.

    O dito modelo que está a ser pensado, tem como base o registo de utilizadores mediante uma determinada taxa. Claro que esta situação não agrada a quem viu o KB crescer através da livre circulação e discussão das temáticas... mas o debate continua e para quem pretender contribuir: www.knowledgeboard.com

    Beijocas e obrigada pelos backups ;-)

    cidadaniactiva disse...

    Ora viva, pipinha! Que saudades. Espero que estejas bem e obrigado por teres aberto esta janela.